domingo, 10 de Fevereiro de 2008

Era meia noite em ponto...

"Era meia noite em ponto,
o sol raiava nas trevas de um claro dia.
Um rapaz sentado de pé,
num banco de pau de pedra,
muito calado dizia:
- Mais vale morrer do que perder a vida..."



Concordam com estas palavras não concordam... eu acho que fazem mesmo todo o sentido... espero que gostem não sei quem é o autor mas sempre gostei muito destas palavras...

11 comentários:

Sóninha disse...

bem tiaguinho..
eu concordo com essas palavras...
Pois mais vale morrer do que estarmos vivos e a nossa vida não fazer o menor sentido... acabando sempre por sofrer mais do que a morte.

beijokas ... adoro.te

Tiago Costa disse...

Não era bem ai que eu queria chegar Soninha... estas frases n querem dizer mesmo nada... são apenas contradições é apenas um texto com um objectivo de nos confundir e gozar com uma situação...

Soninha a vida é maravilhosa e por mais que soframos vale sempre a pena vive-la pois são esses momentos de sofrimento que nos fazem melhorar e ver com outros olhos os bons momentos...

Beijo…

caxemire disse...

nao compensa la muito levar uma vida de sofrimento so para crecer...

caxemire disse...

ja agora, aconselha-se a leitura de "Veronika decide morrer" de Paulo Coelho, meu livro favorito xD

António disse...

Nem sei como vim para a este blog, mas não resisti a acrescentar algo ao que está escrito. Eu aprendi esta lenga-lenga, mais completa com o meu pai (que nasceu em 1900)e era assim:

Era meia noite em ponto
O sol raiava por entre as trevas de um claro dia.
Um jovem ancião da barbas brancas
Sentado num banco de pau, feito de pedra
Lendo um jornal sem letras
Muito calado assim dizia:
Na rectaguarda da frente
Morreu gloriosamente um sargento tenente
Ficando em perigo de vida

Anónimo disse...

Eu aprendi com o meu Avô (1920-2004), e penso que era assim:

"Era meia-noite e o Sol raiava.
Um jovem velho
sentado de pé
num banco de pau de pedra,
lendo um jornal sem letras
muito calado assim dizia:
mais vale viver a vida e morrer
do que vir a morte e levar-nos."

Anónimo disse...

Meu pai nasceu em 1922 tem 87 anos se chama Irineu dos santos.
E me ensinou assim:
Era meia noite, o sol nascia.
E um jovem ancião sentado num banco de pedra feito de pau lia,as páginas brancas de um livro fechado e calado dizia, antes morrer do que perder a vida.

Anónimo disse...

sempre ouvi do meu pai de forma diferente. Particularmente eu gosto mais:

"A Meia Noite
O Sol Raiava
E a Mulher de Preto
Toda de branco
Sentada de pé
na pedra de Pau
Calada dizia:
Que Bela noite
Passei hoje o dia."

Anónimo disse...

Eu sempre ouvi assim:
Era meia noite e sol raiava,
as andorinhas pastavam e as vacas saltavam de ganho em ganho,
e um venho ansiao de apenas 14 anos sentado de pé numa pedra redonda de 4 esquinas dizia
Os 4 apostolos sao 3
Abrao e geremias

Goostomaisassim xD

patinho feio disse...

ontem a meia noite eram dez horas, quando o sol raiava no horizonte, numa curva cheia de retas, um jovem velho sentado de pé num banco de pau feito de pedras lendo um jornal sem letras calado assim dizia... é melhor morrer do que perder a vida... o mundo é uma bola quadrada...e dos 4 apóstolos são 3 jaco e jeremias.
ass: Thiago Divino P. Cabral

renato duarte disse...

O engraçado destas lega-lengas é que vão sendo modificadas à medida que vão passando de boca em boca. assim sendo aqui vos deixo a minha versão que apesar de ser verdadeira é quase mentira kkkkkkkkkk.

Caro padrasto biológico.

" Ontem, à meia noite em ponto, faltava um quarto para a uma, estava uma noite muito calma aqui na Ucrânia. O sol brilhava entre as trevas e a lua.
Sentei-me num banco de pedra feito de madeira á sombra de uma árvore sem troncos nem galhos e ouvi atentamente sem prestar muita atenção, um mudo falando consigo próprio aos companheiros:
-Não quero exagerar mas já disse dois milhões de vezes que prefiro mil vezes morrer do que perder a vida.
Ao longe, muito perto dali, havia uma mata sem árvores, onde as vacas mugindo estridentemente, saltitavam de galho em galho e os elefantes descansavam à sombra de uns pés de salsa acabados de colher.
Corri rapidamente, pé ante pé em direção às traseiras de minha casa e entrei pela porta da frente. Como já era cedo, deitei o casaco na cama e pendurei-me no cabide do armário, onde, depois de ter dormido um bom sono de 10 segundos, sonhei que estava acordado.
Entretanto saí para a casa de banho, onde tomei um refrescante banho em água bem quente.
Como já era hora de jantar, serviram-me o almoço. Asim que acabei de comer um bom guardanapo cheio de gordura, limpei a boca a um bife imaculadamente sujo.
Ao virar-me para o meu lado direito vejo um cego todo nu com uma faca no bolso à minha esquerda que à luz de um candeeiro apagado estava a ler um jornal sem letras que revelava o seguinte: “O Mundo, é uma esfera quadrada que gira parada em torno do Sol.” e mais a baixo dizia ainda em letras enormes quase imperceptíveis: “Os quatro evangelistas são três: Lucas e Mateus.”.
Mais á frente a trás de mim, um surdo ouvia o mudo contar que o cego tinha visto o tetraplégico correr atrás de um carro parado. "